A dimensão temporal pode ser vista como Cronos ou Kairos. Você nunca teve a experiência de dias que passaram muito rápido e outros que pareceram eternos? Isso porque nossa relação com o tempo não é só quantitativa, mas também qualitativa. Porém no tempo visto como qualidade podemos sublinhar um aspecto objetivo, ou seja não me refiro somente no gosto e na satisfação ao vivenciar um momento e que o faz mas parecer mas largo. O tempo de qualidade, Kairós pode pasar de um modo rápido, mas frutuosamente.

Cronos se refere a quantidade de tempo e Kairós a qualidade. Parece tão fácil entender como escrever nesta frase. Porém a sociedade atual que antes vivia uma constante queixa sobre o Cronos, sobre a falta de tempo, e que nunca tinham tempo. Agora se dão conta de nada serve ter muito tempo se o que busca fazer com ele não é algo substancialmente importante.

O mundo desacelerou, e isso fez aumentar a sensação de tempo ao menos em quantidade. Mas e em qualidade? Pessoas que por causa do temperamento tem a facilidade em apreciar cada segundo do que ama não terão dificuldade em aproveitar este Cronos como Kairós.

Kairós significa literalmente “Tempo favorável ou tempo oportuno”. Na espiritualidade cristã é conhecido como tempo para Deus. De todos os modos é algo que implica interioridade emocional, não basta o saber que realizou numerosas coisas.

Depois que você conseguir ordenar toda a casa, revisar todos os seus e-mails atrasados, ver todas as séries que nunca teve tempo ou ler os livros que ficou por terminar desde o tempo da sua universidade. Quando tudo isso terminar o que fará depois? E mesmo que dedicasse todo o tempo da quarentena às essas coisas, terá sido um Kairós?

Finalmente aqui vão as dicas: É preciso de uma regra e vida. Horários e disciplina sobretudo se você é daqueles que desejam fazer mil coisas ao mesmo tempo. Tudo o que terminará fazendo e transformar o kairós em cronos, multiplicando não só o tempo oportuno, mas os encontros, seja com pessoas que com as coisas que quer fazer, em algo numérico.

Deve ter profundidade em tudo o que busca, não no que faz. Isso é, existe um passo prévio que implica uma intencionalidade, que poderá ser mais ou menos profunda, isso dependerá de você. Perguntar se o que quero e por que quero é essencial para não cair na superficialidade do que se pretende realizar.

Ir às raízes. Agora é o momento de conhecer a você mesmo como nunca antes. Seu temperamento e sua personalidade. Este deve ser o primeiro passo a ser dado se ainda não o deu. Baseando-se neste conhecimento de você mesmo poderá começar a buscar outras coisas, por que no encontro consigo mesmo encontrará seus maiores tesouros existenciais e todo o resto deverá conectar-se de alguma maneira com esses tesouros.

Não salte processos. De nada servirá ou será de pouco impacto deixar de pensar em algo tão existencial para ir a algo acidental na sua vida.

Por último como diz o Filósofo Aristóteles, a virtude está no meio. Manter um grande equilíbrio em tudo é fundamental. Nada disso significa que deve deixar de organizar a casa, ou deixar de ler os livros que gosta ou de trabalhar por internet. Mas o conselho é de transformação, não substituição. Porém para transformar uma substância é preciso ir lá no fundo, na essência. E a essência das coisas que você realiza, não está nas coisas mas em você.


Photo by Ionut Andrei Coman on Unsplash